Pedaços

terça-feira, outubro 20, 2009

Eu... A 50%


Há dias, (tantos) em que sinto que vivo a meio gás, que sinto a meio gás... Que sou eu, a meio gás...
Sinto que não dou quanto tenho, não faço quanto queria, não respiro tanto quanto os meus pulmões me permitem...
Desde sempre senti que há tanto em mim que ninguém conhece... Que nunca vem acima... Tanto que me deixa a pensar, como seria se me vissem assim realmente?
Todos os dias deixo palavras a meio... Pensamentos perdidos... Gestos reprimidos...
E porquê?
Toda a gente me diz "Boa Pessoa" seja lá o que isso for... Mas... Não sou mais feliz por isso...
Adormeço a pensar se gostariam de mim, se soubessem que sou pequena... Que uso tacões altos na minha alma, para me sentir maior todos dias...Como seria soubessem que também sofro... Que também choro à noite antes de adormecer... Que não sou tão forte nem segura quanto aparento todos dias...
E depois, e apesar de tudo isto... Parece que perco o interesse tão facilmente... Na vida...
Tal como os outros perdem em mim...

Não quis cuidar palavras, não quis escolher as melhores palavras para falar de mim...
Pelo menos com elas, eu sou eu, a 100%. Elas não me julgam, e afinal, não tem de gostar de mim.

terça-feira, outubro 06, 2009

O amor visto pelas crianças...

«O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele.»
Chrissy, 6 anos


«O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.»
Terri, 4 anos


«O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.»
Danny, 7 anos


«O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias.»
Noelle, 7 anos


«O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem.»
(nem Sócrates, Descartes ou Freud diriam algo mais certo...)
Tommy, 6 anos


«A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir.»
Clare, 6 anos


«Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha.»
Elaine, 5 anos


«Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford.»
Chris, 7 anos


«Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia.»
Mary Ann, 4 anos


«Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti.»
Karen, 7 anos


«Nunca devemos dizer 'Amo-te', a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se.»
Jessica, 8 anos


E a última? O autor e conferencista Leo Buscaglia falou de um concurso em que ele teve de ser júri. O objectivo era encontrar a criança mais cuidadosa.

A vencedora foi um rapazinho de quatro anos, cujo vizinho era um velhote que perdera recentemente a sua esposa. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do velhote, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse:

"Nada, só o ajudei a chorar"