Pedaços

segunda-feira, abril 23, 2012

Ame uma, leve quatro...

"Ou cinco, ou seis, ou sete. Ela não é uma, é várias. A diplomata, a incapaz de tomar decisões, a que quer fazer sempre tudo bem e a incapaz de lidar com o facto de alguém não gostar dela, a que confia em toda a gente mas sempre a desconfiar. Deixa sempre um pé atrás, está sempre a pensar nisso. Mas porque raio haverá alguém de não gostar dela? É incompreensível. Faz-lhe impressão. Magoa-lhe o coração.

Tem a sua gente, a gente de quem ela gosta, a gente que gosta dela, a gente que ela gosta sem conhecer, e a gente que ela gostaria que gostasse só mais um bocadinho dela. Existem aqueles que gostam dela sem ela saber. E existem aqueles que se esquecem que ela existe.

Também há gente que a vida levou para longe, mas quando no limite dos limites, ela lhes confessa “não sei se me safo desta”, a abraçam e dizem “Então não te safas?! Safas, sabes porquê? Porque estamos aqui.”

E depois há aquela gente que ela convidou para entrar na vida dela, ou então que se fizeram convidados, e ela como sempre deixou, a diplomata, a que quer que se goste sempre dela, a que se afeiçoa às pessoas…e depois a esquecem de um dia para o outro. Elas dizem “até amanhã”, mas ela no coração ouviu “até nunca mais”. E assim foi. É para seguir em frente. Atravessar outras pontes. Voltar aos objetivos anteriores. Reorganizar prioridades. Está sempre a pensar nisso.

Mas também há aqueles que lhe dizem “Estava capaz de nadar o Atlântico para estar contigo”. Ela acredita. Como poderia ela não acreditar? Um pé no Atlântico, mas o outro cá atrás…em terra. Onde é seguro. Onde não há icebergs que o radar não detecta.

Em terra há sempre um colo, daqueles que estão lá sempre. Não lhes interessa se ela é teimosa como uma burra, se se deixa iludir, se está sempre no mundo da lua, se se queixa em demasia. Há gente que gosta dela só porque sim. É uma sortuda e ela sabe."

[MC]


Pedaços de um pedaço de mim... Pedaços daquela que nos entra no coração ao primeiro Olá e sabemos que irá ficar para a vida. Daquela que nos  dá a  sua amizade de forma gratuita, e todos os dias tem um pedacinho diferente. Daquela que tem um sorriso no rosto como forma habitual de expressão. Daquela cujo coração é maior que o corpo, e o seu brilho...  O seu brilho é Luz na minha vida. Em muitas vidas.