Pedaços

quinta-feira, janeiro 20, 2011

Na corda bamba...


Quando somos movidos da nossa confortável caminhada e colocados sobre uma corda bamba, sem rede por baixo para nos amparar, sem ninguém para nos suportar na queda...
O nosso coração acorda, o nosso cérebro corre a velocidades doidas, e sabemos que no momento da nossa queda, quer para um lado, quer para o outro, o mundo parará para nos ver cair... Nunca sabemos quais os que irão bater palmas, quer pelo sucesso, quer pelo fracasso. Palmas de felicitação. Ou de sarcasmo.
É quando estamos sobre essa corda, ou com ela no pescoço, que facilmente nos apercebemos do peso de cada escolha da nossa existência, do peso de cada pessoa, e quais as consequências que cada jogada no nosso tabuleiro de xadrez chamado vida, tem.
Temos sempre duas opções, temos sempre dois caminhos... Apenas numa corda. E... Temos pessoas, e não existem más nem existem boas.

quinta-feira, janeiro 13, 2011

Last night somebody saved my soul.

Há dias da nossa vida que nascem para nos iluminar, literalmente. Para que nunca mais adormeçamos iguais.
Ontem foi um desses dias.
Alguém salvou a minha alma. Me recordou que eu tenho Luz própria. Que não preciso nem vivo à sombra da Luz de ninguém.
Às vezes esqueço-me que também eu brilho. Esqueco-me de mostrar isso a quem me rodeia.
Mas não é tarde. Novo amanhã, começa hoje mesmo.
Hoje vou brilhar. Amanhã. Depois.
Desculpem se o meu brilho cegar, mas não vou mais deixar de o fazer. Quem vagueava cegamente era eu.
Esqueci-me dos princípios, os valores e os ideais que carrego, com os quais me visto.
Esqueci de vos dizer que sou dona de uma força inabalável.
Esqueci-me.
Mas hoje estou para aqui para vos dizer que vou fazer ouvir a minha voz, num timbre mais grave.
Vou deslizar descalça e terei a mesma altura.
Não usarei na mesma óculos escuros mas verão finalmente a cor dos meus olhos.
Não serei mais "politicamente correcta" ao ponto de ficar muda quando sei exactamente o que dizer.
Não ignorarei mais faltas de apreço, respeito, nem juízos de valor acerca da "Liliana". Sim, porque eu Adoro o Meu nome, do primeiro ao último, e como tal, exijo-lhe respeito.
E a todos quantos me conhecem a essência, por todos os momentos em que a viram turva... Desculpem, mas a guerra entre mim e as minhas máscaras acabou.

Because Last Night Somebody Saved my soul. My Life.