Pedaços

quarta-feira, agosto 15, 2012

Dias... A fio.

Tem dias em que os dias tem demasiadas horas, que se prolongam por meses.... Parece que vivo o mesmo dia desde que voltei a entrar por aquela porta.
Desgasta-me. As horas e os dias e meses que não passam. A amarga espera, ácida, que me vai corroendo. 
Mas mantenho-me firme, porque nenhum dia dura para sempre e estes também não irão durar. 
No final, vou bater as portas atrás de mim... Comigo, só levarei o meu sorriso... Porque na aurora dos novos que virão, reencontrar-me-ei... Já que no entretanto, me perdi. Já não pertenço aqui, a estas pessoas, a estes chãos... 
...Agarro-me ao fio de sanidade que resta.... 

Nesta espera por ti, querido Novembro. 

Sem comentários: