Pedaços

domingo, maio 12, 2013

Querer... Ou não.

Não gosto do que tira o equilíbrio.
Nem de cordas bambas.
Nunca fui trapezista... 
Não gosto do que me faz vacilar... Muito menos sem camas de elástico por baixo. 

Não gosto do que me tira a paz, a harmonia e o sono.


Não gosto que me tirem as sabrinas e me obriguem a fazer jogos de cintura em saltos altos, de onde tenho medo de cair...

Nunca fui de jogos. De tabuleiro... 
As cartas? Sempre as coloco nas mesa...
Lanço dados e sempre gostei de ter os meus trunfos.


Mas não também não gosto nem sei eu viver de outra forma...
Neste desassossego.
Acabei por me habituar a ele...


O Meu Mundo nao é Direito senão quando está virado ao contrário.
As palavras ganham formas, vidas, corpos... De forma irracional... Mas que fazem todo o sentido.
Não posso eu querer caminhar em linha recta se os meus chãos sempre tiveram pedras e curvas.
Não posso eu querer paz e sossego se procuro o que me desassossega.
Não posso eu querer ser uma pessoa de etiqueta se as teimo em cortar em tudo quanto as encontro.
Nao posso eu querer andar descalça se uso saltos altos na minha alma...
Como posso eu querer ter os pés no chão se só gosto de viver com eles nas nuvens.
Como posso eu querer segurar tudo, se tudo deixo cair num jeito destrambelhado.


Como posso eu querer dar-me à racionalidade se não consigo deixar de me entregar às emoções...


Como posso querer uma coisa que não quero?
Como posso eu deixar de querer? 

Será que quero? Hoje... Apenas queria.
Não ter de afogar... No sono em que me afogo todos os dias... 
Porque penso sempre, que ao acordar... Já não resta nada.... 
Mas resta sempre... 
Porque só dou a mão à Razão durante o dia... 
E o meu coração sempre me abraça, sufoca e adormece à noite...