Pedaços

sábado, março 21, 2015

Paz a Ela.

Foi como uma descarga eléctrica.
Senti o coração encolher-se, doer-me. Acredito que quando gostamos muito de alguém, partilhamos a mesma dor.
Não posso nem quero igualar a minha dor à tua, mas sei que o meu coração sente o teu em pedaços. Contudo, sinto também que estás em paz. Ela está em paz.
Fizeste tudo para que se sentisse amada. Tudo para que partisse apenas com paz e muito amor na sua babagem.
Gostava de poder abraçar-te, durante horas, e aliviar-te da dor que te assola neste momento.
Queria dizer-te que não estás sozinho, apesar dos milhares de kms que nos separam. Penso em ti. Rezo por ti. Sobretudo por Ela.
Deixar ir quem amamos nunca é fácil... Mas espero que a longa vida que ela viveu do teu lado tenha sido suficiente para deixar em ti boas memórias. Sei que todo o tempo com quem amamos nunca é suficiente, mas chega o dia em que é preciso deixar ir, é preciso abrir mão. Abrir mão também é amor, quando é o melhor para quem amamos.
Saber não alimentar o egoísmo de fechar a mão porque não queremos sofrer com a partida, é amor. Por isso, ainda bem que tens muito amor dentro de ti meu pequeno...
Ainda bem que cultivaste amor durante todos estes anos... O aroma dela ficará sempre contigo. As suas histórias. O seu sorriso. As suas lengalengas.
O sol sempre volta a nascer meu querido, e o sol e o amor hão-de trazer alguma paz e conforto para os dias que se avizinham.
Quanto a mim, longe, estarei por perto, respeitando a tua dor e o teu silêncio, à tua espera.

Sem comentários: